Você está visualizando atualmente Maria de Lourdes Veronese Rodrigues é a primeira mulher a receber o título de Professor Emérito da FMRP
Foto: Documentação Científica FMRP

Maria de Lourdes Veronese Rodrigues é a primeira mulher a receber o título de Professor Emérito da FMRP

Docente sênior, Maria de Lourdes chefiou os departamentos de Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço e de Ciências da Saúde

Engajamento, acolhimento e humildade. Essas foram algumas das palavras utilizadas para enaltecer a professora Maria de Lourdes Veronese Rodrigues, que se tornou a primeira mulher a receber o título de Professor Emérito da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP).

Aos 77 anos de idade, a docente sênior foi reconhecida por seus importantes trabalhos dentro da instituição, como chefe do Departamento de Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço e do Departamento de Ciências da Saúde, e como presidente da Comissão de Cultura e Extensão Universitária (CCEx). Além disso, Maria de Lourdes foi a responsável por dar início a campanhas educativas e preventivas no combate cegueira e, ao lado de Maria Rosa Bet de Moraes, professora da Faculdade de Medicina da UNESP, foi reconhecida como pioneira no ensino, pesquisa e atendimento de glaucoma pela Sociedade Brasileira de Glaucoma.

“A proposição do título de Professor Emérito à Maria de Lourdes surgiu há algum tempo, durante em conversas informais entre alguns colegas. A ideia foi levada adiante e rapidamente aceita pela diretoria da FMRP. Este título é concedido ao docente que se distingue por suas atividades didáticas e de pesquisa e que contribuem de modo notável para o progresso da instituição, o que torna a homenagem à professora Maria de Lourdes totalmente merecida. Além disso, para ser aprovado, o título deve ser a anuência de 2/3 dos membros da congregação. A professora teve a totalidade dos votos”, explicou Eduardo Melani Rocha, professor do Departamento de Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço e proponente da iniciativa.

Foto: Documentação Científica FMRP

“É um dia histórico para a FMRP, principalmente por ser a primeira mulher a receber o título. É uma honra para a instituição ter uma docente como a Maria de Lourdes, que mantém viva a nossa história, além de resgatar e guardar nossa memória para a eternidade”, destacou Rui Alberto Ferriani, diretor da FMRP, durante a cerimônia de entrega do título. “A serenidade da professora Maria de Lourdes foi o que deu segurança para seus seguidores nos dois departamentos que chefiou com maestria. Ela contribuiu muito para o crescimento da nossa unidade com a calma e a preocupação em deixar a visão histórica da faculdade para os futuros egressos”, complementou.

“Foi com surpresa, felicidade e emoção que recebi a notícia e só posso manifestar minha gratidão aos colegas do departamento e aos que votaram a favor, pois jamais imaginei receber um título tão importante como esse. Hoje, como docente sênior, continuo com alegria, vontade de trabalhar e com muita esperança no futuro de nossa gloriosa e amada da FMRP”, celebrou Maria de Lourdes.

Trabalhos destaque para a comunidade

Nascida em Santo Ângelo, no interior do Rio Grande do Sul, Maria de Lourdes cresceu consciente de que o estudo deveria ser prioridade, visão passada pela mãe, professora e orientadora pedagógica. Formou-se em medicina Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), onde ingressou em 1964, e concluiu sua faculdade entre os 10 primeiros alunos, entre quase 100 formandos.

Em 1970, Maria de Lourdes iniciou sua relação com a FMRP, onde atuou como médica residente, após ser admitida no programa de oftalmologia. O primeiro cargo de professora veio em 1972, como auxiliar de ensino. Já em 2008, Maria de Lourdes se tornou professora titular da faculdade, onde se aposentou em 2020 e se tornou docente sênior. Durante todos esses anos, a decana da instituição atuou com dedicação e excelência em todas as áreas que exerceu, seja como professora, médica, pesquisadora ou dirigente universitária.

Foto: Documentação Científica FMRP

Sua carreira conta com mais de 80 participações em bancas, cerca de 70 alunos orientados, 165 produções bibliográficas, diversas pesquisas em glaucoma, imunologia, infecções e prevenção da cegueira. Além disso, participou da elaboração dos livros A culinária da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (2007) e Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP Primeiras Décadas (2018).

“É um dia de enorme festa para o nosso departamento. É indiscutível a importância da professora Maria de Lourdes para a nossa instituição, em todas as áreas: graduação, pós-graduação, comissão de ensino e cultura e extensão. Ela plantou a semente de projetos que, hoje, são cases de sucesso, foi chefe de dois departamentos, faz um importante trabalho de resgate à história da FMRP, por meio de seus livros. E além de tudo isso, a professora sempre foi um exemplo de acolhimento e humildade, ajudando a todos que necessitavam, de funcionários, alunos até os colegas”, exaltou a professora Fabiana Cardoso Pereira Valera, chefe do Departamento de Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço.

“Para mim, é uma honra e uma responsabilidade estar aqui homenageando a professora Maria de Lourdes, com quem eu tive a oportunidade de conviver como aluno e como colega. Posso afirmar que são poucas as pessoas que se dedicaram de forma tão intensa à FMRP e à USP. O que posso dizer, em nome da Universidade é ‘muito obrigado’”, disse o professor Rodrigo do Tocantins Calado de Saloma Rodrigues, Pró-Reitor de Pós-Graduação da USP e representante da reitoria na cerimônia. Vice-diretor da FMRP, o professor Jorge Elias Junior, relembrou momentos importantes com a professora Maria de Lourdes, a qual chama de madrinha. “Todas as palavras tecidas sobre generosidade e acolhimento, eu assino embaixo. Só temos a agradecer o trabalho e a presença da professora em nossa instituição, pois ela estimula a todos nós.”

Foto: Documentação Científica FMRP