You are currently viewing Campanha sobre direitos humanos reforça a importância do respeito na FMRP

Campanha sobre direitos humanos reforça a importância do respeito na FMRP

Fortalecer os vínculos e o respeito nas relações são fatores importantes para a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, que acaba de lançar a terceira fase da campanha “Formando também melhores seres humanos”. A ação conta com quatro peças com temática que envolve preconceito e violência em relação à orientação sexual, gênero, classe e raça.

“Um dos nossos compromissos é a formação de seres humanos melhores, que privilegiam o respeito e engajamento nos valores de uma sociedade equalitária. Por isso, optamos pelo desenvolvimento de peças publicitárias para promover a reflexão da nossa comunidade acadêmica com frases que, infelizmente, ainda são muito usadas e demonstram a violência e o preconceito enraizado na nossa sociedade”, afirma o diretor da FMRP e professor Rui Alberto Ferriani.

“A campanha, desenvolvida pela agência de marketing estratégico 4Buzz, integra as ações da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Unidade que tem o objetivo de favorecer um ambiente acolhedor com a preservação dos direitos humanos”, ressalta a presidente da CDH e professora, Carolina Salles.

Acolhimento e preservação dos direitos humanos

Para criar um ambiente plural e de respeito, a Diretoria da FMRP criou a Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Unidade em agosto de 2016. Entre as atividades está a busca por nortear as relações humanas em um ambiente diverso e respeitoso e combater a violência interpessoal, discriminação de gênero, raça, cor, etnia, religião, idade, classe social, orientação sexual e identidade de gênero, entre outras.

O grupo é formado por docentes, funcionários, pós-graduandos e graduandos que atuam com ética e sigilo no acolhimento de queixas de violações de direitos, que podem ser anônimas ou identificadas. Além disso, eles orientam o encaminhamento os casos para atendimento na área da saúde ou dos direitos junto à Diretoria e outras instâncias da USP, como a Comissão de Violência Contra Mulheres e Gêneros do Campus (CAV Mulheres USP-RP); o Escritório USP-Mulheres e a Rede Não Cala de Professoras da USP.

Mais informações: direitoshumanos@fmrp.usp.br ou no site da CDH neste link