Processo seletivo on-line evita a circulação de pessoas e mostra responsabilidade social

Em um ano de pandemia, o mundo precisou se adaptar às novas formas de realizar algum projeto, já que todas as áreas foram prejudicadas nesse período. E uma das palavras-chave neste processo é “reinvenção”. Na área da educação, por exemplo, vestibulares tiveram a opção de serem realizados de forma on-line.

E foi exatamente o que o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP) da USP fez com o processo seletivo para novos médicos residentes. A prova, que inicialmente seria presencial, precisou migrar para a internet e o resultado foi além do esperado.

Com cerca de 4,4 mil participantes, o processo foi um dos maiores do Brasil, por meio on-line, e atingiu seus objetivos, como “manter o nível e a qualidade de todos os processos feitos pelo HCFMRP”, destaca Hilton Ricz, professor da FMRP e coordenador da Comissão de Residência Médica do hospital.

Mas de todos os objetivos alcançados pela prova on-line, o principal deles “foi a responsabilidade social”, garante Ricz. Com um grande número de inscritos, a prova realizada pela internet evitou que milhares de pessoas circulassem pela cidade, dessa forma, o professor comemora: “Nós conseguimos cumprir com a nossa responsabilidade como médicos e com a população”. Clique aqui para ler a matéria completa de Robert Siqueira do Jornal da USP.