Primórdios da FMRP

Primeira sede da FMRP na Rua Visconde de Inhaúma

Marcos Históricos:

1947 – criação, na USP, de Comissão, coordenada pelo Prof. Dr. Zeferino Vaz, para estudar implantação da nova Escola Médica, organizar o currículo e planejar instalação.

1948 – aprovação, pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, do Projeto de Lei da criação da FMRP (autor: Deputado Luiz Augusto Gomes de Matos).

1951 – aprovação da estrutura curricular da FMRP, pelo Conselho Universitário- USP e promulgação da lei Estadual 146, autorizando seu funcionamento. Prof. Vaz foi indicado para ser o primeiro Diretor.

1952- Instalação em sede provisória e Aula Inaugural proferida pelo Governador de São Paulo, Professor da Escola Politécnica-USP Lucas Nogueira Garcez: ” Tratamento Biológico de Esgoto”.

1953- mudança para o “Prédio Central”, localizado na Fazenda Monte Alegre.

1956 – Criação e implantação do Hospital das Clínicas.

1963 – instalação da primeira Congregação, sob a Presidência do Vice-Diretor, Prof. Dr. Mauro Pereira Barreto.

Fatores determinantes do movimento pró Faculdade de Medicina em Ribeirão Preto, na metade da década de 1940, e de seu sucesso:

Aula inaugural

Mudanças políticas e sociais e redemocratização do país;

Fim da Segunda Guerra Mundial;

Preocupação com propiciar melhor qualidade de vida para a geração jovem, que incluía o acesso à Cultura e à Educação, também para os habitantes do interior do Estado;

Necessidade de impulsionar a economia local e o progresso da cidade;

Apoio do Centro Médico de Ribeirão Preto, liderado pelo Dr. Paulo Gomes Romeo;

Apoio dos dirigentes da USP à interiorização do ensino superior e disponibilidade de Professores Livre-Docentes na FMUSP.

Fatores que influenciaram na estruturação da FMRP (modelo Didático-Pedagógico e Corpo Docente):

Prédio Central na década de 50

Modelo Flexeneriano, considerado o “padrão ouro” da época (ênfase na pesquisa, tecnologia de ponta, superespecialização, separação do ensino básico do clínico e regime de tempo integral, também para os professores das áreas clínicas);

Recomendações da Fundação Rockfeller, principal fonte de financiamento externo;

Previsão de criação de programas de Residência Médica e de Curso de Pós-Graduação “stricto sensu”;

Recomendações do Congresso Pan-Americano de Educação Médica de 1951: valorização da Medicina Preventiva, a fusão de cátedras em Departamentos, tempo integral, limitação do número de vagas, rigorosa seleção dos alunos, Escola de Enfermagem parceira e Hospital Escola;

Contratação de professores estrangeiros, incluindo europeus;

Características pessoais de Zeferino Vaz, que planejava criar uma Escola Médica inovadora que também contemplasse as necessidades da sociedade (ensino na comunidade; planejamento de Centro de Saúde-Escola).

Texto elaborado com base em: Rodrigues MLV, Iliano RT. HISTÓRICO DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO (FMRP).