Bioquímica e Imunologia

Departamento de Bioquímica e Imunologia

Brasilina de Campos Salles Cerqueira, Maria Aparecida de Araújo, José Oliveira de Almeida, Carlos Sole-Vernin e Edimo Garcia de Lima

A história desse Departamento remonta aos primeiros anos de existência da FMRP-USP. Áreas do conhecimento básico para o ensino médico, tanto a Bioquímica como a Imunologia começaram a ser estruturadas ainda em 1952. Dois nomes foram fundamentais para a fundação e consolidação destas áreas, José Moura Gonçalves pela Bioquímica e José Oliveira de Almeida pela Imunologia. Ambos aglutinaram outros importantes nomes que ajudaram a ampliar e diversificar as linhas de investigação científica básica no campo biomédico. Desta história, três marcos merecem destaque.

A atividade de pesquisa pioneira da Bioquímica foi direcionada para a análise de proteínas de venenos de serpente, com os estudos do Prof. José Moura Gonçalves que, posteriormente foi ampliada para a análise e caracterização de toxinas de escorpiões e aracnídeos. Novas toxinas de várias espécies animais foram descobertas e caracterizadas, bioquimicamente e farmacologicamente, o que resultou no reconhecimento nacional e internacional da pesquisa desenvolvida neste Departamento.

José Moura Gonçalves

Por outro lado, desde o início de sua fundação, a FMRP manteve estreita relação com os estudos sobre a Doença de Chagas. Esta intimidade resultou em várias linhas de investigação, dentre elas a do Prof. José Oliveira de Almeida, pioneiro do Departamento de Imunologia, que aperfeiçoou a técnica de fixação de complemento de Machado e Guerreiro, tornando-a mais específica e confiável, a qual foi amplamente utilizada no Brasil e outros países durante décadas, como um importante exame no diagnóstico da doença de Chagas.

Descobertas científicas mais recentes também marcaram historicamente o conjunto das grandes contribuições de nosso Departamento. Dentro dessa nova fase do Departamento, outras descobertas científicas se destacam, principalmente decorrentes dos estudos do Prof. Dr. Joaquim Coutinho Netto, DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA E IMUNOLOGIA que isolou do soro do látex da Hevea brasiliensis (seringueira) uma molécula com propriedades angiogênica e aceleradora do processo cicatricial de feridas e até de próteses para implantes biológicos. Tais estudos evoluíram originando o primeiro produto oriundo de pesquisas realizadas na FMRP a entrar no mercado para uso clínico, qual seja,a Regederm® Gel Creme da Valeant Farmacêutica.

Joaquim Coutinho Netto

Em 2005, o grupo do Prof. Coutinho Netto também isolou uma fração da fruta Averrhoa carambola, com propriedades neurotóxicas e atividade convulsivante, a caramboxina, que pode ser fatal em indivíduos portadores de insuficiência renal crônica. Estas pesquisas ganharam repercussão mundial, resultaram em patentes e no desenvolvimento de medicamentos, exemplo da investigação médica translacional.