Idosos ganham autonomia com monitoramento domiciliar da saúde

Blutzuckermessung vor dem FrühstückOs idosos têm cada vez mais autonomia nas decisões sobre a sua saúde. A facilidade na aquisição de aparelhos como o medidor de glicose (glicosímetro) e de pressão arterial contribui para essa realidade. De acordo com a pesquisadora Marina Soares Bernardes, o acesso a essas informações dentro do próprio domicílio permite maior controle do idoso sobre a sua doença, mas há dificuldade de uso e interpretação dos resultados.

Marina acompanhou 150 idosos, de ambos os sexos, portadores de diabetes e hipertensão, com média de idade de 72 anos, usuários de aparelhos para medidas de pressão e glicose no domicílio. A pesquisadora afirma que o monitoramento domiciliar nesses casos pode prevenir complicações, além dar autonomia ao paciente para participar ativamente do seu tratamento, fazendo-o responsável pelas ações de cuidado. “As doenças crônicas exigem cuidado longitudinal e, por isto, o monitoramento domiciliar pode oferecer uma atenção mais integral e continuada”, afirma Marina.

A pesquisadora alerta que é necessário saber manusear corretamente os medidores, já que a decisão vai se basear nestes resultados. “Para o idoso, desvendar o uso das novas tecnologias pode ser uma tarefa complexa por aspectos relacionados ao envelhecimento e à própria tecnologia”, revela. E ressalta que declínio sensorial, motor ou cognitivo e o equipamento com linguagem técnica e design pouco amigável podem comprometer o uso.

Os idosos são a favor do gerenciamento domiciliar, diz a pesquisadora, que reforça a necessidade do investimento em informação e educação em saúde para o cuidado integral no tratamento de doenças crônicas.  Para Marina, uma das alternativas é facilitar o acesso às informações sobre o tratamento da doença e sobre o uso dos equipamentos, por meio de oficinas para ensinar o uso correto dos aparelhos e, ainda, disponibilizar material didático adequado e espaço permanente para dúvidas. “São estratégias para se garantir tomadas de decisão em saúde mais adequadas e seguras”, concluiu Marina.

A dissertação O monitoramento domiciliar das condições crônicas e a tomada de decisão por idosos e diabéticos e hipertensos, foi apresentada em 23/02/2016 pela terapeuta ocupacional Marina Soares Bernardes pelo programa de Pós-Graduação Interunidades em Bioengenharia, parceria entre a Escola de Engenharia e Instituto de Química, ambos de São Carlos, e Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, todos da USP, com orientação da professora Carla da Silva Santana, da FMRP.

Mais informações: (16) 3441-1345

Referência: Portal de Informações da USP / Ribeirão Preto – Por Giovanna Grepi - Imagem: labs.mil.up.pt

Home      Voltar
Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Av. Bandeirantes, 3900 - Monte Alegre - CEP: 14049-900 Ribeirão Preto/SP.

acesse nossas comunidades logo_face  logo_tw  stoa-logo-white AlumniUSPTV_Complexo0 

Desenvolvido por Xpirit