Gerenciamento de Risco traz mais segurança no atendimento à saúde no HEAB

Gerenciamento-de-Risco_frentes-de-trabalho-300x225

O Gerenciamento de Riscos em Saúde é a aplicação sistêmica e contínua de políticas, procedimentos, condutas e recursos na avaliação de riscos e eventos adversos que afetam a segurança, a saúde humana, a integridade profissional, o meio ambiente e a imagem institucional.

A metodologia para a acreditação ONA – Organização Nacional de Acreditação, traz o Gerenciamento de Risco como estratégia e medida de prevenção a ocorrências em todos os âmbitos que envolvem os serviços de saúde. Sua aplicação pelas equipes assistenciais e administrativas de hospitais, clínicas, laboratórios, entre outros, traz reflexos diretos na qualidade do atendimento, evitando ou prevenindo danos ao paciente, bem como à própria instituição de saúde.

O principal objetivo da política de gerenciamento de risco é monitorar a assertividade do trabalho utilizando como parâmetro a possibilidade ou ocorrência de tais situações adversas, que são muitas, como: erro na administração de medicamentos, extravasamento de quimioterápico, úlcera por pressão, quedas, acidente de trabalho, infecção hospitalar, diagnóstico errado, dentre várias outras.

Não se trata de uma “caça às bruxas”, de buscar culpados para as situações de risco. Pelo contrário, o foco está na melhoria da qualidade e da segurança da assistência, que só poderá ser obtida através do esforço conjunto do corpo clínico e da equipe multiprofissional. Muitas ações contribuem para o bom gerenciamento de risco e, dentre elas, destaca-se a instalação e execução consciente de um bom sistema de gerenciamento de não conformidades com a análise minuciosa da relação causa-efeito e também a educação permanente.

É no sentido de minimizar os riscos potenciais de eventos adversos que se faz necessário conhecer e controlar esses riscos, que são fontes de danos no ambiente hospitalar.

Os princípios norteadores da Gestão de Risco na instituição são: 1. Foco na prevenção e nos processos. 2. Sistemática, estruturada e oportuna. Gerenciamento de Risco traz mais segurança no atendimento à saúde 3. Dinâmica, interativa e capaz de reagir às mudanças. 4. Parte integrante dos processos organizacionais. 5. Alinhada ao planejamento estratégico da organização. 6. Orienta a tomada de decisões. 7. Gerencia eventos sentinela. 8. Baseada em evidências.

A gestão de riscos integra as principais frentes de atuação na prevenção de riscos no HEAB/AME, a saber: eventos e quase eventos adversos, hemovigilância, tecnovigilância, farmacovigilância, prevenção de infecção hospitalar, prevenção de eventos assistenciais como queda e úlcera por pressão, saúde ocupacional, gerenciamento de resíduos.

O processo de gestão de riscos é mapeado e orientado por fluxos de notificação, identificação, análise e tratamento dos riscos com utilização de ferramentas com classificação do nível de risco e possibilidade de priorização.

O gerenciamento de riscos é parte integrante do Programa de Melhoria Contínua da Qualidade e Segurança do Paciente. Este programa deverá ser revisto e atualizado anualmente e deverá conter prioritariamente ações de identificação do risco, priorização do risco, notificação do risco, gerenciamento do risco, investigação de eventos adversos e gerenciamento de queixas relacionadas.

O processo de notificação deve garantir o fácil acesso de todos os colaboradores e a segurança, privacidade e rastreabilidade da informação.

É preciso o envolvimento das equipes para efetivamente aumentar a segurança do serviço de saúde e registrar todas as ocorrências adversas e que causem insegurança ao paciente. É importante que se consiga tratar as causas, que, quando identificadas e tratadas resultam numa melhor qualidade na entrega do serviço.

Os gestores devem detectar as oportunidades e buscar recursos para a capacitação, treinamento e desenvolvimento de seus times. Cada colaborador deve estar ciente da importância de notificar o erro ou situação adversa imediatamente. E isso por várias razões; afinal, a ocorrência de determinado risco pode, em alguns casos, ser letal. A subnotificação provavelmente existirá – mas precisa ser eliminada.

Você que é profissional da saúde, lembre-se, a imediata notificação de eventos adversos poderá salvar vidas, portanto relate imediatamente qualquer ocorrência. Vale a pena!

No HEAB/AME contamos com diversos grupos ligados ao gerenciamento de risco, que discutem os eventos com foco na prevenção e nos processos assistenciais. Os grupos estão abertos à participação de novos colaboradores, procure se informar e participe!

Mariana Cândida Laurindo Gerente de Qualidade do HEAB

Camila Fagundes de Lima Enfermeira de Qualidade do HEAB

Referência: Assessoria de Imprensa HEAB

Home      Voltar
Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Av. Bandeirantes, 3900 - Monte Alegre - CEP: 14049-900 Ribeirão Preto/SP.

acesse nossas comunidades logo_face logo_tw stoa-logo-white TV_Complexo0

Desenvolvido por Xpirit