Cursinho Popular da FMRP-USP: um projeto de sucesso para que o lugar de aluno do ensino médio de escola pública seja a universidade pública.

BRUNADesde a divulgação do resultado do concurso vestibular FUVEST 2017, no dia 2 de fevereiro, um dos assuntos mais comentados nas redes sociais é a aprovação de Bruna Sena Reis (foto) em primeiro lugar no curso mais concorrido, o de Medicina da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP). Esse feito, notável por si só, ganha ainda mais significado porque Bruna, uma adolescente de 17 anos, estudou em escola da rede pública de Ribeirão Preto, a Escola Alberto Santos Dumont.
Outro motivo de orgulho é que a aprovada foi aluna do Cursinho Popular da Medicina (CPM), um projeto de extensão universitária, sem fins lucrativos, fundado no ano de 2008 por iniciativa de membros do Programa de Educação Tutorial (PET) da FMRP-USP. Nesse cursinho, a equipe coordenadora, assim como a equipe de professores, são formadas exclusivamente por estudantes da USP, em trabalho voluntário. “Hoje, são 100 alunos por ano, taxa de aprovações nas faculdades crescendo muito. São alunos de baixa renda, que estudaram todo o ensino médio em escola pública e se dedicaram para reduzir o vão entre o ensino de ricos e pobres. Estou certo de que, em 20-30 anos, esses alunos estarão tomando decisões importantes na nossa cidade, estado e país, ajudando a construir um mundo mais justo.” Essas são palavras de Eduardo Orlandin ex-professor do CPM e médico graduado na FMRP-USP em 2016.
A história de Bruna demonstra, portanto, a importância de ações do terceiro setor da sociedade, como o Cursinho Popular do PET-Medicina (foto), nos avanços sociais. As palavras de Caique Nogueira e de João Vitor Resende, ambos acadêmicos de Medicina da FMRP-USP e professores voluntários do CPM, definem bem o sentimento envolvido nesses projetos: “…um projeto lindo que tenta fazer com que o lugar de aluno de escola pública seja a universidade pública”. “Queremos ver esses alunos arrasar em suas carreiras! São alegrias tão grandes quanto a do dia de minha aprovação! ”
Há dentro da FMRP e da USP, o reconhecimento de que medidas inclusivas são necessárias e bem-vindas para estimular e facilitar o ingresso de jovens talentos de todos os extratos sociais em seus cursos. A USP tem defendido políticas de inclusão para alunos de baixa renda oriundos de escolas públicas. O INCLUSP e a adesão ao SISU são exemplos concretos dessa tendência. O feito de Bruna, representante de segmento social que tradicionalmente tem pouco acesso aos cursos mais concorridos da USP é um ótimo exemplo da combinação de políticas inclusivas e de meritocracia. É preciso muito esforço pessoal e dedicação aos estudos para ser aprovado, ainda mais em primeiro lugar.
A diretoria da FMRP-USP parabeniza todos os professores e alunos que se envolveram na criação e trabalham voluntária e arduamente para o sucesso do Cursinho Popular do PET-FMRP-USP. A conquista alcançada por Bruna, aluna de escola pública e do Cursinho Popular da FMRP-USP, demonstra que políticas inclusivas são efetivas, significam muito e inspiram muita gente que luta por uma universidade cada vez menos elitista e mais diversa.

Referência: Sonir R. Antonini – Professor do Departamento de Puericultura e Pediatria e Membro da Comissão de Graduação da FMRP-USP
Margaret de Castro – Diretora da FMRP-USP

Home      Voltar
Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Av. Bandeirantes, 3900 - Monte Alegre - CEP: 14049-900 Ribeirão Preto/SP.

acesse nossas comunidades logo_face  logo_tw  stoa-logo-white AlumniUSPTV_Complexo0 

Desenvolvido por Xpirit